April 8, 2008

"A Minha Canção É Saudade" cantada por Amalia Rodriguez

De ilusões desvanecidas
Filme de esperanças perdidas
Minha canção é saudade

Ai, que de tranças caídas
Via tudo em cores garridas
E em todos via bondade

Ai, que de tranças caídas
Via tudo em cores garridas
E em todos via bondade

E nesta sinceridade
De amor e sensualidade
Ponho a alma ao coração

Numa angústia, uma ansiedade
Minha canção é saudade
Do amor sonhado em vão

Numa angústia, uma ansiedade
Minha canção é saudade
Do amor sonhado em vão

Nesta saudade sem fim
Choro saudades de mim
Sou mulher mas fui pequena

Também brinquei e corri
Mas quem sabe se sofri
Se é de mim que tenho pena

Também brinquei e corri
Mas quem sabe se sofri
Se é de mim que tenho pena.

________________________________________

Nos vamos começar o capítulo 12 cujo conteúdo trata essencialmente o tema das viagens. O viajar, pela maior parte, infere deixar atrás algum ser amado por um período definido ou as vezes indefinido, e por isso, o viajar está ligado com a saudade. Eu encontrei um fado cantado pela Amália Rodrigues que trata o tema da saudade cujo título é "A Minha Canção É Saudade." Podes ouvir a canção em youtube: http://youtube.com/watch?v=gH8rN8HYfOU

Mas, o que é a saudade? Wanderlino Arruda, um escritor brasileiro, a descreve da seguinte forma:

“E o que é mesmo saudade? Um sentimento que deve existir no coração de toda criatura humana, seja ela de qualquer raça, de qualquer parte do mundo, seja pobre, seja rica. A saudade não escolhe, não discrimina, não se faz de rogada para existir. Ela vem de mansinho ou vem fortemente, chegando quando menos se espera. A saudade é amiga da solidão, companheira inseparável do amor, visita invisível da amizade, às vezes pedaço de paixão, em muitos casos suave perfume de momentos de carinho e ternura [...] Saudade é dor que sufoca o coração e alegra a alma. Saudade é presença do ausente, é lembrança do bem-querer, um doce convívio com a distância, uma alegre e agradável tristeza do ver-não-vendo, do amar sem o objeto do amor...?
“A PALAVRA SAUDADE?
Wanderlino Arruda
Publicado no Recanto das Letras em 24/12/2004
Código do texto: T900
http://recantodasletras.uol.com.br/cronicas/900


De acordo com a canção, o que é a saudade? Escreve 5 frases definindo e explicando como crês que a canção está a retratar a saudade.

March 7, 2008

Mulher com Gato por Di Cavalcanti

Di Cavalcanti (1897-1976) era e é um pintor brasileiro muito famoso. Ele era e ainda é conhecido como o pintor protagonista do Modernismo Brasileiro.

Lê mais sobre ele: http://www.pitoresco.com/brasil/cavalcanti/cavalcanti.htm

Contempla a pintura intitulada: “Mulher com Gato?
http://www.escritoriodearte.com/detalharQuadro.asp?quadro=1197

Usa a pintura como inspiração para escrever uma pequena história criativa ou um pequeno poema criativo. Podes começar com: "Era uma vez" e continuar á tua maneira. Conta-nos a história da "Mulher com Gato" e procura ser o mais criativo possível. Diverte-te com o mundo maravilhoso das palavras e com as possibilidades infinitas da tua imaginação.

February 25, 2008

The Policeman's Daughter by Paula Rego

Paula Rego is a very famous Portuguese female painter. Read more about her at: http://en.wikipedia.org/wiki/Paula_Rego

Go to the following website to view a painting entitled "The Policeman's Daughter" by Paula Rego:
http://www.saatchi-gallery.co.uk/imgs/artists/rego-paula/paula-rego-po-daughter.jpg

Please write a paragraph (5 sent) describing the painting by answering the following questions in Portuguese:
1) How can we interpret the title of the painting?
2) Who is being portrayed in the painting? What are they doing?
3) Where are they? Describe in detail.
4) What does her expression tell us about how or what she is feeling?
5) How do you feel when contemplating this painting?

Details about the painting:
Paula Rego
The Policeman's Daughter
1987, Oil on canvas
213 x 152 cm

February 6, 2008

Não sei quantas almas tenho

Não sei quantas almas tenho.
Cada momento mudei.
Continuamente me estranho.
Nunca me vi nem acabei.
De tanto ser, só tenho alma.
Quem tem alma não tem calma.
Quem vê é só o que vê,
Quem sente não é quem é,

Atento ao que sou e vejo,
Torno-me eles e não eu.
Cada meu sonho ou desejo
É do que nasce e não meu.
Sou minha própria paisagem;
Assisto à minha passagem,
Diverso, móbil e só,
Não sei sentir-me onde estou.

Por isso, alheio, vou lendo
Como páginas, meu ser.
O que sogue não prevendo,
O que passou a esquecer.
Noto à margem do que li
O que julguei que senti.
Releio e digo: "Fui eu?"
Deus sabe, porque o escreveu.


Poeta: Fernando Pessoa

SUMMARY & QUESTION: "Não sei quantas almas tenho" is a poem written by Fernando Pessoa, a very famous Portuguese poet. In this very powerful poem, Fernando Pessoa questions his existence, his being, and who he is. As a result, the verses overflow with doubt, mystery, and internal turmoil. We have talked about personality traits/characteristics in our class in order to describe ourselves as well as others. Using this knowledge and any outside reference you might have, write at LEAST 5 complete sentences summarizing what you believe the poem is about, how you identify with the poem, and how you would describe/characterize the poet after reading his most intimate thoughts.